PTBR/Prabhupada 0100 - Somos eternamenete relacionados a Krishna

From Vanipedia
Jump to: navigation, search
Go-previous.png Página anterior - Video 0099
Próxima Página - Video 0101 Go-next.png

Somos eternamenete relacionados a Krishna
- Prabhupāda 0100


Lecture on SB 6.1.8 -- New York, July 22, 1971

Então, nós somos eternamente relacionados a Kṛṣṇa. No momento atual isso está simplesmente esquecido, suprimido. Portanto estamos pensando que não temos nenhuma relação com Kṛṣṇa. Mas isso não é a realidade. Porque nós somos parte e parcela de Kṛṣṇa, a relação é eterna. Simplesmente temos que reanimá-la. Isso é consciência de Kṛṣṇa. Consciência de Kṛṣṇa significa... Estamos agora em consciência diferente. Eu estou pensando que sou indiano. Alguém está pensando: "Eu sou americano". Alguém está pensando: "Eu sou isso, eu sou aquilo". Mas o pensamento real deve ser "Eu sou de Kṛṣṇa". Isso é consciência de Kṛṣṇa. "Eu sou de Kṛṣṇa". E em uma relação consciente de Kṛṣṇa, porque Kṛṣṇa é para todos, por isso eu me torno pertencente a todos. Apenas tente compreender. Na Índia, o sistema é quando uma menina é casada com um rapaz, assim, em seu país, também, em todos os lugares, o mesmo sistema. Assim como o sobrinho do menino chama a menina "tia". Agora, como ela se torna tia? Devido à sua relação com o marido. Antes do casamento, ela não era tia, mas assim que ele (ela) está relacionada com o marido, o sobrinho do marido se torna o seu sobrinho. Basta tentar entender o exemplo. Da mesma forma, se restabelecermos nosso relacionamento, ou a nossa relação original com Kṛṣṇa, e Kṛṣṇa é para todos, por isso eu me torno para todos. Isso é verdadeiro amor universal. O artificial, dito amor universal não pode ser estabelecido, a menos que você tenha estabelecido seu relacionamento com o ponto central. Assim como você são americanos. Por quê? Porque você nasceu nesta terra. Então, outro americano é um membro do seu país, mas se você se tornar outra coisa, então você não tem nenhuma relação com outro americano. Portanto, temos de restabelecer nossa relação com Kṛṣṇa. Então, a questão da fraternidade universal, a justiça, a paz, a prosperidade virá. Caso contrário, não há nenhuma possibilidade. Falta o ponto central. Como pode haver justiça e paz? Não é possível. Portanto, no Bhagavad-gītā a fórmula da paz é dada. A fórmula paz é que um indivíduo deve entender que Kṛṣṇa é o único desfrutador. Assim como neste templo, o nosso ponto central é Kṛṣṇa. Se estamos cozinhando, é para Kṛṣṇa, não estamos cozinhando para o nosso propósito. Em última análise, embora nós comeremos a prasāda, mas quando cozinhamos, nós não pensamos que estamos cozinhando para nós mesmos. Nós estamos cozinhando para Kṛṣṇa. Quando você sai para coletar alguns fundos, não é que as pessoas que estão no grupo de kīrtana, eles têm qualquer interesse pessoal. Não. Eles estão coletando, ou eles estão distribuindo literatura, pelo amor de Kṛṣṇa, para tornar as pessoas conscientes de Kṛṣṇa. E o que quer que coletem, isso está sendo gasto para Kṛṣṇa. Assim, deste modo, quando somos treinados neste sistema de vida, tudo para Kṛṣṇa, isso é a consciência de Kṛṣṇa. A mesma coisa, o que estamos fazendo, nós temos que fazer. Simplesmente temos de mudar a consciência, que "eu estou fazendo para Kṛṣṇa, não para mim". Desta forma, se desenvolvemos consciência de Kṛṣṇa, então chegamos à nossa consciência original. Então, tornamo-nos felizes. A menos que cheguemos à consciência original, então estamos loucos em diferentes graus. Todo aquele que não está na consciência de Kṛṣṇa, pode-se supor que ele é louco porque ele está falando numa plataforma que é temporária, transitória. Ela acabará. Mas nós, como entidades vivas, somos eternos. Então ocupações temporárias não são a nossa ocupação. Nossa ocupação deve ser eterna, porque somos eternos. E esta ocupação eterna é como servir Kṛṣṇa. Assim como este dedo é parte integrante do meu corpo, mas a ocupação eterna do dedo é como servir este corpo, isso é tudo. Aqui, ele não tem outra ocupação. E esse é o estado saudável do dedo. Se ele não pode servir todo o corpo, essa é condição de doença. Da mesma forma, Kṛṣṇa é eterno; somos eternos. Nityo nityānāṁ cetanaś cetanānām (Kaṭha Upaniṣad 2.2.13). Estas são as instruções védicas. O supremo eterno é Śrī Kṛṣṇa, e nós também somos eternos. Nós não somos supremos; somos subordinados. Nityo nityānāṁ cetanaś cetanānām. Ele é a entidade viva suprema, e nós somos seres vivos subordinados. Eko bahūnāṁ yo vidadhāti kāmān. Essa única entidade viva, um eterno, Ele está fornecendo todas as necessidades de vida para os vários eternos. Eko bahūnām, número ilimitado de entidades vivas. Você não pode contar. Bahūnām. Este é o nosso relacionamento. Assim, como parte integrante, temos de servir a Kṛṣṇa, e nós somos subordinados. Ele está fornecendo nossas necessidades. Ele é o Pai Supremo. Esta vida é a vida normal e vida liberada. Qualquer outra vida, para além desta concepção da consciência de Kṛṣṇa, é vida pecaminosa.