PTBR/Prabhupada 0124 - Forçado a render-se - isto é um favor especial

From Vanipedia
Jump to: navigation, search
Go-previous.png Página anterior - Video 0123
Próxima Página - Video 0125 Go-next.png

Forçado a render-se - isto é um favor especial
- Prabhupāda 0124


His Divine Grace Srila Bhaktisiddhanta Sarasvati Gosvami Prabhupada's Disappearance Day, Lecture -- Los Angeles, December 9, 1968

Então em sua vida ele era akhaṇḍa brahmacārī. Bhaktivinoda Ṭhākura tinha muitos outros filhos, e ele era o quinto filho. E alguns de seus outros irmão também, eles não casaram. E meu Guru Mahārāja, ele também não casou. Desde a infância ele é brahmacārī rigoroso, Bhaktisiddhānta Sarasvatī Gosvāmī Mahārāja. E ele se submeteu a severas penitências para iniciar esse movimento, movimento mundial. Essa era a sua missão. Bhaktivinoda Ṭhākura queria fazer isso. Ele, 1896, Bhaktivinoda Ṭhākura queria introduzir esse movimento da consciência de Kṛṣṇa através do envio desse livro, Shree Chaitanya Mahāprabhu, Sua vida e preceitos. Felizmente, aquele foi o ano de meu nascimento, e pelo arranjo de Kṛṣṇa, nós entramos em contato. Eu nasci em uma família diferente, meu Guru Mahārāja nasceu em uma família diferente. Quem sabia que eu tomaria refúgio sob a sua proteção? Quem sabia que eu viria para a América? Quem sabia que vocês, garotos americanos, viriam para mim? Esses todos são arranjos de Kṛṣṇa. Não podemos entender como as coisas estão acontecendo.

Em 1936... Hoje é nove de dezembro, 1968. Isso significa trinta e dois anos atrás. Em Bombay, na época eu tinha um negócio. De repente, talvez nesse dia, em algum ponto entre nove e dez de dezembro. Naquela época, Guru Mahārāja estava um pouco indisposto, e ele estava residindo em Jagannātha Purī, à beira-mar. Então eu lhe escrevi uma carta, "Meu querido mestre, seus outros discípulos, brahmacārī, sannyāsī, eles estão rendendo serviço direto a você. E eu sou um homem de família. Eu não posso viver com você, não posso servi-lo bem. Então eu não sei. Como posso servi-lo?" Simplesmente uma ideia, eu estava pensando em servi-lo, "como posso servi-lo seriamente?". Então a resposta estava datada treze de dezembro, 1936. Naquela carta ele escreveu, "Meu querido tal e tal, estou muito feliz em receber sua carta. Eu acho que você deveria tentar avançar o nosso movimento em inglês". Isso era o que ele estava escrevendo. "E isso vai beneficiá-lo, assim como a todo o povo que o ajudar". "E eu desejo..." Essa foi a sua instrução.

E então em 1936, no dia trinta e um de dezembro - o que significa logo após escrever essa carta cerca de quinze dias antes de partir - ele abandonou o corpo. Mas eu tomei essa ordem do meu mestre espiritual muito seriamente, mas eu não pensei que eu teria que fazer tal e tal coisa. Na época eu era um homem de família. Mas esse é o arranjo de Kṛṣṇa. Se tentamos servir estritamente o mestre espiritual, a sua ordem, então Kṛṣṇa nos dará todas as facilidades. Esse é o segredo. Embora não houvesse possibilidade, eu nunca pensei, mas eu tomei a ordem um tanto seriamente através do estudo de um comentário do Bhagavad-gītā feito por Viśvanātha Cakravartī Ṭhākura. No Bhagavad-gītā o verso vyavasāyātmikā-buddhir ekeha kuru-nandana (BG 2.41), em conexão com esse verso, Viśvanātha Cakravartī Ṭhākura dá o seu comentário de que devemos tomar as palavras do mestre espiritual como a nossa própria vida. Devemos tentar executar a instrução, a instrução específica do mestre espiritual, muito rigidamente, sem nos importar com o nosso benefício ou nossa perda.

Então eu tentei um pouco, nesse espírito. Então ele me deu todas as facilidades para servi-lo. As coisas chegaram a esse estágio, que nessa idade avançada eu vim ao seu país, e vocês também estão tomando esse movimento seriamente, tentanto entendê-lo. Nós temos alguns livros agora. Então há alguma sustentação nesse movimento. Então, nessa ocasião do desaparecimento do meu mestre espiritual, como estou tentando executar o seu desejo, da mesma forma, eu vou pedir a vocês que executem a mesma ordem através de meu desejo. Eu sou um homem idoso, posso partir a qualquer momento. Essa é a lei da natureza. Ninguém pode evitá-la. Então isso não é muito surpreendente, mas o meu apelo a vocês nesse dia auspicioso do desaparecimento do meu Guru Mahārāja, que, ao menos em certa medida, você tenha entendido a essência do movimento da consciência de Kṛṣṇa. Você deveria tentar fazê-lo avançar. As pessoas estão sofrendo devida à ausência dessa consciência.