PTBR/Prabhupada 0502 - Desista De Concepções Sem Sentido – Leve A Vida Mais Ampla De Consciência De Krishna

From Vanipedia
Jump to: navigation, search
Go-previous.png Página anterior - Video 0501
Próxima Página - Video 0503 Go-next.png

Desista De Concepções Sem Sentido – Leve A Vida Mais Ampla De Consciência De Krishna
- Prabhupāda 0502


Lecture on BG 2.15 -- Hyderabad, November 21, 1972

Então, Prahlāda Mahārāja está aconselhando que "Você desista de todas essas concepções sem sentido". Vanam gato Yad dharim āśrayeta (SB 7.5.5). Apenas Vanam gataḥ, significa apenas tornar-se livre desta concepção, gṛham andha-kūpam concepção de vida. Leve a vida mais ampla da consciência de Kṛṣṇa. Então você vai ser feliz. Hitvātma-pātaṁ gṛham andha-kūpaṁ vanaṁ gato yad dharim āśrayeta (SB 7.5.5). Harim āśrayeta. O verdadeiro negócio é āśrayeta Harim. Vanaṁ gataḥ. Vanaṁ gataḥ significa ir para a floresta. Anteriormente, após a vida de gṛhastha, a vida de vānaprastha, e a vida de sannyāsa, eles costumavam viver na floresta. Mas ir para a floresta não é o principal objetivo da vida. Porque na floresta há muitos animais. Isso significa que eles são avançados na vida espiritual? Isso é chamado de markaṭa-vairāgya. Markaṭa-vairāgya significa "renúncia de macaco." O macaco é nu. Nāga-bābā. Nu. E come fruta, macaco, e vive debaixo de uma árvore ou na árvore. Mas ele tem pelo menos três dúzias de esposas. Portanto, este markaṭa-vairāgya, este tipo de renúncia, não tem valor. Renúncia Real. A verdadeira renúncia significa que você tem que desistir da vida de andha-kūpa. e tomar abrigo de Kṛṣṇa, harim āśrayeta. Se você tomar abrigo de Kṛṣṇa, então você pode desistir desse, toda essa vida de "ismo". Caso contrário, não é possível; você vai ser aprisionado por esta vida de "ismo". Então, hitvātma-pātaṁ gṛham andha-kūpaṁ vanaṁ gato yad dharim āśrayeta (SB 7.5.5). Não desistir... Se você desistir de algo, você deve pegar alguma coisa. Caso contrário, isto será perturbado. Pegue! Essa é a recomendação: param dṛṣṭvā nivartate (BG 2.59). Você pode desistir da sua vida familiar, da vida social, da vida política, dessa vida, daquela vida, quando você leva uma vida consciente de Kṛṣṇa. Caso contrário, não é possível. Caso contrário, você precisa levar algo dessa vida. Não há possibilidade de sua liberdade. Não há possibilidade de se ver livre das ansiedades. Este é o caminho.

Então aqui é a mesma coisa que tattva-darśibhiḥ, aqueles que são realmente videntes da Verdade Absoluta... athāto brahma jijñāsā, como é dito no Vedānta-sūtra... Ainda ontem, um rapaz estava me perguntando: "O que é o Vedanta,? Vedānta, qual é o significado de Vedānta?" É muito bom, é muito fácil. Veda significa conhecimento, e anta significa último. Então Vedānta significa conhecimento último. Assim, o conhecimento último é Kṛṣṇa. Kṛṣṇa diz: Vedaiś ca sarvair aham eva vedyo vedānta-kṛd veda-vid ca aham. Ele é o criador do Vedānta e Ele é o conhecedor do Vedānta. A menos que ele é conhecedor do Vedānta, como Ele pode escrever Vedānta? Na verdade, a filosofia Vedānta é escrita por Vyāsadeva, encarnação de Kṛṣṇa. Então, Ele é vedānta-kṛt. E Ele é vedānta-vit também. Portanto, a questão era saber se Vedānta significa advaita-vāda or dvaita-vāda. Por isso, é muito fácil de entender. O primeiro aforismo do Vedānta: athāto brahma jijñāsā, indagar sobre Brahman, a Verdade Absoluta. Agora, o, indagar onde? Se você quiser indagar, você precisa ir até alguém que sabe a coisa. Portanto, imediatamente, no início do Vedānta-sūtra, não há dualidade, que se deve indagar, e é preciso responder. Athāto brahma jijñāsā. Assim, no Vedānta-sūtra, como você pode é advaita-vāda? É dvaita-vāda, desde o início. Athāto brahma jijñāsā. Deve-se perguntar o que é Brahman, e é preciso responder, ou o mestre espiritual, ou o discípulo, isso é dual. Como você pode dizer que é advaita-vāda? Portanto, temos de estudar desta forma. Aqui é dito, tattva-darśibhiḥ. Tattva-darśibhiḥ significa vedānta-vit, aquele que sabe Vedānta. Janmādy asya yataḥ (SB 1.1.1). Aquele que conhece a Verdade Absoluta, de onde tudo começa. Janmādy asya yataḥ. Esse é o começo do Śrīmad-Bhāgavatam.